Sobre preconceito, e como lidar com ele

Oi, zente!


A Fabiana me pediu lá na página do Facebook pra fazer um vídeo sobre o preconceito, como eu sou no meu dia-a-dia e como eu lido com o preconceito...
Eu achei a ideia MUITO válida e fiz um vídeo sobre isso, mas preciso escrever algumas coisas que complementam o vídeo também.


Sobre as empresas que não aceitam alternativos: bom, isso só mostra a falta de profissionalismo por parte das empresas. Então, eu não desejo a ninguém que a pessoa trabalhe em um lugar onde ela não é aceita por ser quem ela é. Se por acaso você passa por esse tipo de situação e se sente desconfortável por isso, por favor, saia do seu emprego o mais rápido possível. Se não levam em consideração o seu desempenho no emprego, e sim como você aparenta, então não crie laços profissionais com pessoas tão retrógradas.

Sobre os pais que não aceitam os filhos alternativos: que são pessoas retrógradas, isso vocês já sabem. Mas eu acho o cúmulo um pai que não aceita a individualidade do filho. Aqui em casa, meus pais sempre acharam que é uma fase, mas fui impedida de fazer algumas coisas (tatuagens, piercings), e fiz mesmo assim, depois de começar a ganhar meu próprio dinheiro e parte da minha independência financeira... Fui repreendida e algumas coisas não são aceitas por eles, mas como eu trabalho, eu pago as minhas dívidas e eu sustento o meu estilo, deixo bem claro que eles não podem me impedir de fazer isso. Depois que fiz uma graduação por influência dos meus pais e senti que maior parte foi tempo perdido, eu deixei de fazer tudo o que os meus pais queriam e comecei a fazer as coisas porque eu quero.
Caso você tenha problemas com isso, o jeito é esconder mesmo e só se mostrar como é no rolê. Mas deixe bem claro para os seus pais que eles DEVEM respeitar a sua individualidade.

Enfim, é isso!
Bêzo!

Posts Relacionados

0 comentários

Artes e desenvolvimento por Rubia Del Vecchio. Tecnologia do Blogger.

Flickr Images